segunda-feira, 25 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 25/05


25 DE MAIO
GRATIDÃO PROGRESSIVA

A gratidão deve ir para frente, nunca para trás.
 NA OPINIÃO DO BILL, p.29


       Eu sou muito grato ao meu Poder Superior por ter-me dado uma segunda chance para viver uma vida digna.
       Através de Alcoólicos Anônimos recuperei minha sanidade. As promessas estão sendo cumpridas em minha vida. Sou grato por estar livre da escravidão do álcool. Sou grato pela paz de espírito e a oportunidade de crescer, mas minha gratidão deve ir para frente, nunca para trás. Não posso ficar sóbrio nas reuniões de ontem ou abordagens passadas. Preciso colocar minha gratidão em ação hoje.
     Nosso cofundador dizia que a melhor maneira de demonstrar mossa gratidão é levar a mensagem para os outros. Sem ação a minha gratidão é apenas uma emoção agradável. Preciso colocá-la em ação praticando o Décimo Segundo Passo, transmitindo a mensagem e praticando os princípios em todos os meus assuntos. Sou grato por transmitir a mensagem hoje.
______
 
Meditação do dia:
A unidade de nossa Irmandade, o amor que acalentamos uns pelos outros, o apreço em que o mundo nos tem – tudo isso é o resultado dessa integridade que, à semelhança de Deus, tivemos o privilégio de atingir.”
(O Melhor de Bill, p.34)





Daily Reflection
MAY 25
PROGRESSIVE GRATITUDE


Gratitude should go forward, rather than backward.
AS BILL SEES IT, p. 29


I am very grateful that my Higher Power has given me a second chance to live a worthwhile life. Through Alcoholics Anonymous, I have been restored to sanity. The promises are being fulfilled in my life. I am grateful to be free from the slavery of alcohol. I am grateful for peace of mind and the opportunity to grow, but my gratitude should go forward rather than backward. I cannot stay sober on yesterday's meetings or past Twelfth-Step calls; I need to put my gratitude into action today. Our co-founder said our gratitude can best be shown by carrying the message to others. Without action, my gratitude is just a pleasant emotion. I need to put it into action by working Step Twelve, by carrying the message and practicing the principles in all my affairs. I am grateful for the chance to carry the message today!

domingo, 24 de maio de 2015

Aniversário Grupo Carmo Sion - 22 Anos


Reflexões Diárias de A.A.: 24/05


24 DE MAIO
FELIZ, ALEGRE E LIVRE”

Estamos certos de que Deus nos quer felizes, alegres e livres. Não devemos compartilhar a crença de que esta vida é um vale de lágrimas, embora em certa época tenha sido justamente isto para muitos de nós. Porém, é claro que nós mesmos criticamos a nossa própria degradação; não foi Deus. Evitemos então a criação deliberada de uma desgraça. Mas, se vierem problemas vamos aproveitá-los alegremente, como uma oportunidade de demonstrar Sua onipotência.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.148 ou p.161

    Por anos acreditei num Deus punidor e o culpava por minha desolação. Aprendi que devo entregar as “armas” do ego a fim de agarrar as “ferramentas” do programa de A.A. Não luto com o programa porque ele é um presente e eu nunca briguei quando recebia um presente. Se algumas vezes continuo lutando, é porque estou ainda preso às minhas velhas ideias e “... os resultados são nulos.”
______
 
Meditação do dia:
Não nos comunicamos com eles quando podíamos tê-lo feito. Assim, nós, os AAs, falhamos com eles. Pode ser que, mais frequentemente do que pensamos, ainda não façamos nenhum contato em profundidade com aqueles que sofrem o dilema da falta de fé.”
(O Melhor de Bill, p.6)





Daily Reflection
MAY 24
"HAPPY, JOYOUS AND FREE"


We are sure God wants us to be happy, joyous, and free. We cannot subscribe to the belief that this life is vale of tears, though it once was just that for many f us. But it is clear that we made our own misery, rod didn't do it. Avoid then, the deliberate manufacture of misery, but if trouble comes, cheerfully capitalize it as an opportunity to demonstrate His omnipotence.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 133


For years I believed in a punishing God and blamed him for my misery. I have learned that I must lay down the "weapons" of self in order to pick up the "tools" of the A.A. program. I do not struggle with he program because it is a gift and I have never struggled when receiving a gift. If I sometimes keep MI struggling, it is because I'm still hanging onto my old ideas and " . . . the results are nil."

sábado, 23 de maio de 2015

Aniversário Grupo Carmo Sion - 22 Anos


Reflexões Diárias de A.A.: 23/05


23 DE MAIO
SAÚDE ESPIRITUAL

Ao vencermos a enfermidade espiritual, endireitamo-nos mental e fisicamente.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.85 ou  p.93

    É muito difícil para mim aceitar minha doença espiritual, devido ao meu grande orgulho disfarçado por sucessos materiais e por meu poder intelectual. Inteligência não é incompatível com humildade, desde que eu coloque a humildade em primeiro lugar. Procurar prestígio e riqueza é o objetivo final para muitos neste mundo moderno. Seguir a moda e parecer melhor do que sou realmente é uma doença espiritual.
    Reconhecer e admitir minhas fraquezas é o começo de uma boa saúde espiritual. É um sinal de saúde espiritual ser capaz de pedir a Deus todo o dia para me iluminar, reconhecer Sua vontade e ter forças para executá-la. Minha saúde espiritual está ótima quando percebo que, quanto mais melhoro, mais descubro quanto necessito da ajuda dos outros.
______
 
Meditação do dia:
À medida que vão progressivamente se humilhando pela terrível surra administrada pelo álcool, a graça de Deus pode penetrar neles e expulsar sua obsessão. Aqui, seu poderoso instinto de viver pode cooperar plenamente com o desejo de seu Criador de lhes dar uma nova vida.”
(Na Opinião do Bill, p.246)




Daily Reflection
MAY 23
SPIRITUAL HEALTH


When the spiritual malady is overcome, we straighten out mentally and physically.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 64


It is very difficult for me to come to terms with my spiritual illness because of my great pride, disguised by my material successes and my intellectual power. Intelligence is not incompatible with humility, provided I place humility first. To seek prestige and wealth is the ultimate goal for many in the modern world. To be fashionable and to seem better than I really am is a spiritual illness.
    To recognize and to admit my weaknesses is the beginning of good spiritual health. It is a sign of spiritual health to he able to ask God every day to enlighten me, to recognize His will, and to have the strength to execute it. My spiritual health is excellent when I realize that the better I get, the more I discover how much help I need from others.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Aniversário Grupo Carmo Sion - 22 Anos


Reflexões Diárias de A.A.: 22/05


 22 DE MAIO
PRIMEIRO PASSO

Admitimos ... (“Nós” a primeira palavra do Primeiro Passo)
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.17

      Quando eu bebia, tudo o que eu pensava era sempre “Eu, Eu, Eu”, ou “Meu, Meu, Meu.” Tal obsessão do ser, tal doença da alma, tal egoísmo espiritual me escravizou à garrafa mais da metade de minha vida.
     O caminho para encontrar Deus e fazer Sua vontade um dia de cada vez, começou com a primeira expressão do Primeiro Passo... “Nós”.
    Havia poder, força e segurança no plural e para um alcoólico como eu, também havia vida. Se tivesse tentado me recuperar sozinho, provavelmente teria morrido. Com Deus e outro alcoólico tenho um propósito divino na minha vida... tornei-me um canal para o amor benéfico de Deus.
______
 
Meditação do dia:
Quando pararmos de encontrar desculpas para o nosso comportamento, teremos dado o primeiro passo para alcançar a humildade de que precisamos para aceitar orientação espiritual. É por meio dessa orientação espiritual que começamos a reconstruir nossas vidas e a nós mesmos.”
(Doze Passos para os Cristãos – jornada espiritual com amor-exigente, p.29)




 Daily Reflection
MAY 22
STEP ONE


WE . . . (The first word of the First Step)
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 21


When I was drinking all I could ever think about was "I, I, I," or "Me, Me, Me." Such painful obsession of self, such soul sickness, such spiritual selfishness bound me to the bottle for more than half my life.
    The journey to find God and to do His will one day at a time began with the first word of the First Step . . . "We." There was power in numbers, there was strength in numbers, there was safety in numbers, and for an alcoholic like me, there was life in numbers. If I had tried to recover alone I probably would have died. With God and another alcoholic I have a divine purpose in my life . . . I have become a channel for God's healing love.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 21/05


21 DE MAIO
UMA LISTA DE BÊNÇÃOS

Um exercício que pratico é o de tentar fazer um inventário completo de minhas bênçãos...
 NA OPINIÃO DO BILL, p.37
   
   O que tive de agradecer?  Eu me fechei em mim mesmo e fiz uma lista das bênçãos pelas quais não sou responsável, começando com a de ter nascido com um corpo e uma mente sãos. Repassei exatamente setenta e quatro anos de vida, até o presente momento.
    A lista ocupou duas páginas e levou duas horas para ser escrita.
  Incluí saúde, família, dinheiro, A.A. – enfim, a gama toda.
   Todo dia, nas minhas orações, peço a Deus que me ajude a lembrar de minha lista e ser grato por ela durante todo o dia.
   Quando lembro minha lista de gratidão, é muito difícil concluir que Deus me castigou.
______ 

Meditação do dia:
Quando tenha explicado seu propósito cuidadosamente, e o depositário de sua confiança tenha entendido o quanto ele o poderá ajudar, na verdade, a conversação começará facilmente e logo se tornará animada. Em breve, seu ouvinte poderá contar uma outra história a respeito dele que deixará você ainda mais à vontade.”
(Os Doze Passos e as Doze Tradições, p.54)


Daily Reflection
MAY 21
A LIST OF BLESSINGS


One exercise that I practice is to try for a full inventory of my blessings. . . .
AS BILL SEES IT, p. 37

What did I have to be grateful for? I shut myself up and started listing the blessings for which I was in no way responsible, beginning with having been born of sound mind and body. I went through seventy-four years of living right up to the present moment. The list ran to two pages, and took two hours to compile; I included health, family, money, A.A. —the whole gamut.
   Every day in my prayers, I ask God to help me remember my list, and to be grateful for it throughout the day. When I remember my gratitude list, it's very hard to conclude that God is picking on me.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Aniversário Grupo Carmo Sion - 22 Anos


Reflexões Diárias de A.A.: 20/05


20 DE MAIO
UM DIA DE CADA VEZ

Acima de tudo, faça-o um dia de cada vez.
 NA OPINIÃO DO BILL, p.11


            Por que engano a mim mesmo dizendo-me que devo ficar sem beber somente um dia, quando sei perfeitamente bem que nunca mais posso beber em minha vida? Não estou me enganando, porque um dia de cada vez é provavelmente a única maneira, pela qual eu posso alcançar o objetivo a longo prazo de permanecer sóbrio.
            Se eu determino que nunca mais vou beber na vida, me coloco numa certa condição. Como posso ter certeza de não mais beber, quando não tenho ideia do que me espera no futuro?
            Na base de um dia de cada vez, tenho certeza de que posso ficar sem beber por um dia. Assim, fico numa condição de confiança. No final do dia tenho a recompensa da realização. A realização me faz sentir bem e faz com que eu queira mais!
______
 
Meditação do dia:
NUNCA MAIS É MUITO LONGE!!!!”
(Provérbio clássico)




Daily Reflection
MAY 20
ONE DAY AT A TIME


Above all, take it one day at a time.
AS BILL SEES IT, p. 11


Why do I kid myself that I must stay away from a drink for only one day, when I know perfectly well I must never drink again as long as I live? I am not kidding myself because one day at a time is probably the only way I can reach the long-range objective of staying sober. If I determine that I shall never drink again as long as I live, I set myself up. How can I be sure I won't drink when I have no idea what the future may hold?
     On a day-at-a-time basis, I am confident I can stay away from a drink for one day. So I set out with confidence. At the end of the day, I have the reward of achievement. Achievement feels good and that makes me want more!

terça-feira, 19 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 19/05


19 DE MAIO
DANDO SEM RESTRIÇÕES

E ele  sabe bem que sua própria vida ficou enriquecida, como um dividendo extra por dar ao outro, sem exigir qualquer retribuição.
NA OPINIÃO DO BILL, p.69

    O conceito de dar sem restrições foi difícil de entender quando vim para o Programa pela primeira vez. Tinha suspeitas quando os outros queriam me ajudar. Pensava: “Que eles vão querer de volta?” Mas logo aprendi a alegria de ajudar outro alcoólico, e entendi porque eles estavam ali no começo à minha disposição.
   Minhas atitudes mudaram e eu desejava ajudar aos outros.
  Algumas vezes ficava ansioso, quando queria que eles conhecessem as alegrias da sobriedade, que soubessem que a vida pode ser linda.
   Quando minha vida está repleta do amoroso Deus do meu entendimento e dou este amor para meu companheiro alcoólico, sinto uma riqueza em especial que é muito difícil de explicar.
______
 Meditação do dia:
Encontro disposição para fazê-lo, ao recordar as lições aprendidas através do sofrimento passado – lições que têm me levado às bênçãos que agora desfruto.”
(Na Opinião do Bill, p.266)



Daily Reflection
MAY 19
GIVING WITHOUT STRINGS 
 
And he well knows that his own life has been made richer, as an extra dividend of giving to another without any demand for a return.
AS BILL SEES IT, p. 69


The concept of giving without strings was hard to understand when I first came into the program. I was suspicious when others wanted to help me. I thought, "What do they want in return?" But I soon learned the joy of helping another alcoholic and I understood why they were there for me in the beginning. My attitudes changed and I wanted to help others. Sometimes I became anxious, as I wanted them to know the joys of sobriety, that life can be beautiful. When my life is full of a loving God of my understanding and Igive that love to my fellow alcoholic, I feel a special richness that is hard to explain.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 18/05


18 DE MAIO
 LIBERDADE PARA SER EU MESMO

Se trabalharmos com afinco nesta fase de nosso desenvolvimento, ficaremos surpreendidos antes de chegar à metade do caminho. Vamos conhecer uma nova liberdade e uma nova felicidade.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.103 ou p.112

    Minha primeira verdadeira liberdade é a liberdade de não precisar beber hoje. Se realmente desejá-la, praticarei os Doze Passos, e através deles me chegará a felicidade desta liberdade – às vezes rapidamente, outras vezes lentamente. Seguir-se-ão outras liberdades, e fazer seu inventário será uma nova alegria. Tive uma nova liberdade hoje, a liberdade de ser eu mesmo. Tenho a liberdade de ser melhor do que jamais fui.
______
 
Meditação do dia:
Não fugimos nem lutamos, mas aceitamos. E então começamos a ser livres.”
(Na Opinião do Bill, p.109)



Daily Reflection
MAY 18
FREEDOM TO BE ME


If we are painstaking about this phase of our development, we will be amazed before we are half way through. We are going to know a new freedom and a new happiness
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 83


My first true freedom is the freedom not to have to take a drink today. If I truly want it, I will work the Twelve Steps and the happiness of this freedom will come to me through the Steps—sometimes quickly, sometimes slowly. Other freedoms will follow, and inventorying them is a new happiness. I had a new freedom today, the freedom to be me. I have the freedom to be the best me I have ever been.

domingo, 17 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 17/05


17 DE MAIO
... E PERDOAMOS
 
Com muita dificuldade tenho procurado sempre perdoar as outras pessoas e a mim mesmo.
NA OPINIÃO DO BILL, p.268

     Perdoar a si mesmo e perdoar aos outros são duas correntes do mesmo rio, ambas retardadas ou interceptadas completamente pela represa do ressentimento. Uma vez que a represa é aberta, ambas as correntes podem fluir. Os Passos de A.A. permitem-me ver como o ressentimento cresceu e em consequência bloqueou esse fluxo em minha vida. Os Passos fornecem uma maneira pela qual  meus ressentimentos podem ser dispersados – pela graça de Deus como eu O entendo. É como resultado desta solução que posso achar a graça necessária que me dá condições de perdoar a mim mesmo e aos outros.
______
 
Meditação do dia:
Cada um de nós gostaria de viver em paz consigo mesmo e com seus semelhantes. Gostaríamos de ser assegurados de que a graça de Deus pode fazer por nós o que nós não podemos.”
(Os Doze Passos e as Doze Tradições, p.67)



Daily Reflection
MAY 17
. . . AND FORGIVE


Under very trying conditions I have had, again and again, to forgive others—also myself
AS BILL SEES IT, p. 268


Forgiveness of self and forgiveness of others are just two currents in the same river, both hindered or shut off completely by the dam of resentment. Once that dam is lifted, both currents can flow. The Steps of A.A. allow me to see how resentment has built up and subsequently blocked off this flow in my life. The Steps provide a way by which my resentments may—by the grace of God as I understand Him— be lifted. It is as a result of this solution that I can find the necessary grace which enables me to forgive myself and others.

sábado, 16 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 16/05


16 DE MAIO
 NÓS PERDOAMOS...

Frequentemente, enquanto dávamos este Passo com nossos padrinhos ou conselheiros espirituais, pela primeira vez nos sentíamos verdadeiramente capazes de desculpar os outros, não importa quão profundamente nos houvessem maltratado.
    Nosso inventário moral nos havia persuadido de que era desejado um perdão geral para todos, mas foi somente quando resolutamente demos o Quinto Passo, vimos em nosso íntimo, que poderíamos aceitar o perdão e perdoar também.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, P.50 e 51
  
 Que grande sentimento é o perdão! Que revelação sobre minha natureza emocional, psicológica e espiritual. Tudo que se precisa é boa vontade para perdoar; Deus fará o restante.
______
 
Meditação do dia:
Se pedirmos, Deus certamente perdoará nossas negligências, isso é algo que se pressupõe que estejamos dispostos a fazer. Ele quer apenas que tentemos, da melhor maneira possível, progredir na formação do caráter.”
(Na Opinião do Bill, p.204)


Daily Reflection
MAY 16
WE FORGIVE . . .


Often it was while working on this Step with our sponsors or spiritual advisers that we first felt truly able to forgive others, no matter how deeply we felt hey had wronged us. Our moral inventory had persuaded us that all-round forgiveness was desirable, but it was only when we resolutely tackled Step Five hat we inwardly knew we'd be able to receive forgiveness and give it, too.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 58


What a great feeling forgiveness is! What a revelation about my emotional, psychological and spiritual nature. All it takes is willingness to forgive; 5od will do the rest

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 15/05


15 DE MAIO
CONHEÇA DEUS, CONHEÇA A PAZ

É evidente que uma vida onde se incluem profundos ressentimentos só nos leva à futilidade e à infelicidade... Porém, com o alcoólico, cuja esperança é a manutenção e o crescimento de uma experiência espiritual, este negócio dos ressentimentos é grave mesmo.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.87 ou p.95

            Conheça a Deus;
            Conheça a Paz.
            Sem Deus;
            Sem Paz.
 ______

Meditação do dia:
A maneira e o momento em que dizemos a verdade – ou ficamos calados – pode frequentemente revelar a diferença entre a integridade genuína e a total falta de integridade.”
(O Melhor de Bill, p.26 e 27)





Daily Reflection
MAY 15
KNOW GOD; KNOW PEACE


It is plain that a life which includes deep resentment leads only to futility and unhappiness. . . . But with the alcoholic, whose hope is the maintenance and growth of a spiritual experience, this business of resentment is infinitely grave.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 66 
 
          Know God;
          Know peace.
          No God;
          No peace.
 

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 14/05


14 DE MAIO
 É BOM SER EU MESMO

Inúmeras vezes os novatos procuraram guardar para si certos fatos de suas vidas... desviaram-se para métodos mais fáceis... mas, não aprenderam o suficiente sobre a humildade...
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.93 e 94  ou  p.101 e 102

    Humildade soa muito como humilhação mas, na realidade, ela é a capacidade de olhar para mim mesmo – e honestamente aceitar o que vejo. Não preciso ser o “mais esperto” nem o “mais estúpido” ou qualquer outro “mais”. Finalmente é muito bom ser “eu” mesmo. É mais fácil para mim aceitar-me se compartilhar toda a minha vida. Se não posso compartilhar nas reuniões, então é melhor ter um padrinho – alguém com que eu possa compartilhar “certos fatos” que podem me levar de volta à bebida e para a morte. Preciso praticar todos os Passos. Preciso do Quinto Passo para aprender a verdadeira humildade. Métodos mais fáceis não funcionam.
______
 
Meditação do dia:
E mais uma coisa: nenhum de nós estaria hoje aqui, se alguém não tivesse tido tempo para explicar-nos alguma coisa, para nos dar uns tapinhas nas costas, para levar-nos a uma ou duas reuniões, para fazer numerosos atos de bondade e consciência em nosso favor.”
(A Última Mensagem do Dr. Bob)





Daily Reflection
MAY 14
IT'S OKAY TO BE ME


Time after time newcomers have tried to keep to themselves certain facts about their lives. . . . they have turned to easier methods. . . . But they had not learned enough humility. . . .
ALCOHOLICS ANONYMOUS, pp. 72-73

Humility sounds so much like humiliation, but it really is the ability to look at myself—and honestly accept what I find. I no longer need to be the "smartest" or "dumbest" or any other "est." Finally, it is okay to be me. It is easier for me to accept myself if I share my whole life. If I cannot share in meetings, then I had better have a sponsor —someone with whom I can share those "certain facts" that could lead me back to a drunk, to death. I need to take all the Steps. I need the Fifth Step to learn true humility. Easier methods do not work.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 13/05


13 DE MAIO
 A MANEIRA MAIS FÁCIL E SUAVE


 Se saltarmos este passo chave, talvez não sobrepujemos a bebida.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.94 ou p.101

            Certamente não fugi à oportunidade de ver quem eu era, especialmente quando as dores de minhas bebedeiras pairavam sobre mim como uma nuvem escura. Contudo, logo ouvi nas reuniões a respeito do companheiro que simplesmente não queria praticar o Quinto Passo e continuava vindo às reuniões, trêmulo pelos horrores de reviver o seu passado. A maneira mais fácil e suave é praticar estes Passos para nos libertar de nossa doença fatal e colocar nossa fé na Irmandade e em nosso Poder Superior.
______
 
Meditação do dia:
A ele foi indicado um caminho que lhe mostra que está indo em direção a uma meta, que a vida não é um beco sem saída, nem algo a ser suportado ou dominado. Na verdade ele se transformou, porque se agarrou a uma fonte de energia da qual até agora havia se privado.”
(Na Opinião do Bill, p.85)




Daily Reflection
MAY 13
THE EASIER, SOFTER WAY


If we skip this vital step, we may not overcome drinking.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 72


I certainly didn't leap at the opportunity to face who I was, especially when the pains of my drinking days hung over me like a dark cloud. But I soon heard at the meetings about the fellow member who just didn't want to take Step Five and kept coming back to meetings, trembling from the horrors of reliving his past. The easier, softer way is to take these Steps to freedom from our fatal disease, and to put our faith in the Fellowship and our Higher Power.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 12/05


12 DE MAIO
O PASSADO TERMINOU

A experiência de A.A. nos indicou que não podemos viver sozinhos com problemas persistentes bem como com os defeitos de caráter que os causam e os agravam. Se ... o Quarto Passo ... tem realçado aquelas experiências que preferimos não lembrar ... então, torna-se mais imperativo do que nunca desistir de viver sozinhos com esses fantasmas torturantes do passado. É preciso falar com alguém a respeito.
OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.48

   O que foi feito, feito está. Não pode ser mudado. Mas minha atitude sobre o assunto pode ser mudada, conversando com aqueles que vieram antes e com os padrinhos. Posso desejar que o passado nunca tenha sido, mas se mudo minhas ações quanto ao que fiz, minha atitude mudará. Não preciso desejar que o passado desapareça. Posso mudar meus sentimentos e atitudes, porém somente através de minhas ações e da ajuda de meus companheiros alcoólicos.
______

Meditação do dia:
Num ambiente assim, os ortodoxos, os não ortodoxos e os descrentes se misturam e juntos são felizes e úteis. A oportunidade de crescimento espiritual abre-se a todos.”
(Na Opinião do Bill, p. 158)




Daily Reflection
MAY 12
THE PAST IS OVER


A.A. experience has taught us we cannot live alone with our pressing problems and the character defects which cause or aggravate them. If. . . Step Four . . . has revealed in stark relief those experiences we'd rather not remember . . . then the need to quit living by ourselves with those tormenting ghosts of yesterday gets more urgent than ever. We have to talk to somebody about them.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 55


Whatever is done is over. It cannot be changed. But my attitude about it can be changed through talking with those who have gone before and with sponsors. I can wish the past never was, but if I change my actions in regard to what I have done, my attitude will change. I won't have to wish the past away. I can change my feelings and attitudes, but only through my actions and the help of my fellow alcoholics.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 11/05


11 DE MAIO
UMA NOVA SENSAÇÃO DE PERTENCER

Enquanto não falássemos, com toda a franqueza, de nossos conflitos e ouvíssemos outra pessoa fazer a mesma coisa, ainda não estaríamos participando.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.50

            Após quatro anos em A.A. fui capaz de descobrir a liberdade do peso de emoções enterradas que tinham me causado muita dor. Com a ajuda de A.A. e do apadrinhamento a dor foi libertada e senti uma sensação de pertencer e de paz interior. Também senti uma alegria e um amor por Deus que nunca havia experimentado. Tenho muito respeito pelo poder do Quinto Passo.
______
 
Meditação do dia:
Preciso apenas apoiar-me na própria concepção, deixando-a crescer e preencher cada vez mais o meu coração. Feito isso, posso compará-la ao meu último inventário pessoal. Terei uma ideia lúcida e sadia de onde realmente me encontro na Rodovia para a Humildade. Percebo que minha jornada em direção a Deus apenas começou.”
(A Linguagem do Coração, p.306)





Daily Reflection
MAY 11
A NEW SENSE OF BELONGING


Until we had talked with complete candor of our conflicts, and had listened to someone else do the same thing, we still didn't belong.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 57

After four years in A.A. I was able to discover the freedom from the burden of buried emotions that had caused me so much pain. With the help of A.A., and extra counseling, the pain was released and I felt a complete sense of belonging and peace. I also felt a joy and a love of God that I had never experienced before. I am in awe of the power of Step Five.
 

domingo, 10 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 10/05


10 DE MAIO
 AFINAL, LIVRE

Outra grande dádiva que podemos esperar por confiar nossos defeitos a outro ser humano é a humildade – uma palavra frequentemente mal compreendida... representa um claro reconhecimento do que e quem somos realmente, seguido de um esforço sincero de ser aquilo que poderíamos ser.
OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.51

            Sabia no fundo do meu ser que se quisesse ser alegre, feliz e livre para sempre, tinha de compartilhar minha vida passada com outra pessoa. A alegria e o alívio que senti após fazer isto estão além de qualquer descrição. Quase que imediatamente após fazer o Quinto Passo, me senti livre da escravidão do ego e da escravidão do álcool. Esta liberdade permanece após 36 anos, um dia de cada vez.
            Descobri que Deus podia fazer por mim o que eu não podia fazer sozinho.
______
 
Meditação do dia:
Para nós seres humanos a humildade absoluta é impossível. O melhor que podemos esperar é vislumbrar o significado e o resplendor deste perfeito ideal. Como diz nosso livro Alcoólicos Anônimos: 'Não somos santos... o que pretendemos é o progresso espiritual, não a perfeição espiritual'.
(A Linguagem do Coração, p.301)



Daily Reflection
MAY 10
FREE AT LAST


Another great dividend we may expect from confiding our defects to another human being is humility —a word often misunderstood. . . . it amounts to a clear recognition of what and who we really are, followed by a sincere attempt to become what we could be.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 58


I knew deep inside that if I were ever to be joyous, happy and free, I had to share my past life with some other individual. The joy and relief I experienced after doing so were beyond description. Almost immediately after taking the Fifth Step, I felt free from the bondage of self and the bondage of alcohol. That freedom remains after 36 years, a day at a time. I found that God could do for me what I couldn't do for myself.


sábado, 9 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 09/05


9 DE MAIO
CAMINHANDO PELO MEDO

Se ainda nos apegamos a algo que não queremos soltar, pedimos a Deus que nos ajude a ter a vontade.
ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.96 ou  p.105

   Quando fiz meu Quinto Passo, tornei-me consciente de que todos os meus defeitos de caráter se originavam de minha necessidade de me sentir seguro e amado. Usar somente a minha vontade para trabalhar com meus defeitos e resolver o meu problema eu já havia tentado obsessivamente. No Sexto Passo aumentei a ação que tomei nos três primeiros Passos – meditando no Passo, dizendo-o várias vezes, indo às reuniões,  seguindo às sugestões de meu padrinho, lendo e procurando dentro de mim mesmo. Durante os três primeiros anos de sobriedade tinha medo de entrar num elevador sozinho. Um dia decidi que tinha de enfrentar este medo. Pedi ajuda a Deus, entrei no elevador e ali no canto estava uma senhora chorando. Ela disse que desde que seu marido havia morrido ela tinha um medo mortal de elevadores. Esqueci meu medo e a confortei. Esta experiência espiritual ajudou-me a ver como a boa vontade era a chave para trabalhar o resto dos Doze Passos para a recuperação. Deus ajuda aqueles que se ajudam.
______
 
Meditação do dia:
No meu próprio caso, a pedra fundamental da libertação do medo é a Fé: uma Fé que, apesar de todas as aparências mundanas em contrário, faz-me acreditar que vivo em um universo que faz sentido.”
(O Melhor de Bill, p.15)




Daily Reflection
MAY 9
WALKING THROUGH FEAR


If we still cling to something we will not let go, we ask God to help us be willing.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 76


When I had taken my Fifth Step, I became aware that all my defects of character stemmed from my need to feel secure and loved. To use my will alone to work on them would have been tryingobsessively to solve the problem. In the Sixth Step I intensified the action I had taken in the first three Steps—meditating on the Step by saying it over and over, going to meetings, following my sponsor's suggestions, reading and searching within myself. During the first three years of sobriety I had a fear of entering an elevator alone. One day I decided I must walk through this fear. I asked for God's help, entered the elevator, and there in the corner was a lady crying. She said that since her husband had died she was deathly afraid of elevators. I forgot my fear and comforted her. This spiritual experience helped me to see how willingness was the key to working the rest of the Twelve Steps to recovery. God helps those who help themselves.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 08/05


8 DE MAIO
UM LUGAR DE DESCANSO

Todos os Doze Passos de A.A. nos pedem para atuar em sentido contrário aos nossos desejos naturais, todos desinflam nosso ego. Quando se trata desse assunto, poucos Passos são mais duros de aceitar do que o Quinto. Mas, dificilmente, qualquer deles é mais necessário à obtenção da sobriedade prolongada e à paz mental do que este.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.48

            Após escrever meus defeitos de caráter, estava sem disposição de falar sobre eles, e decidi que era a hora de parar de carregar esta carga sozinho. Precisava confessar estes defeitos com alguém. Tinha lido – e tinham me falado – que não podia me manter sóbrio a não ser que o fizesse.
            O Quinto Passo me dava um sentimento de pertencer, com humildade e serenidade, quando o praticava diariamente em minha vida. Era importante admitir meus defeitos de caráter na ordem apresentada no Quinto Passo: “A Deus, a nós mesmos e a outro ser humano.” Admitir para Deus em primeiro lugar preparou o terreno para a admissão a mim mesmo e para outra pessoa. De acordo com a descrição de como o Passo é feito, um sentimento de ser um com Deus e com meus companheiros me levou a um lugar de descanso onde pude preparar-me para os Passos restantes em direção a uma sobriedade plena e significativa.
______
 
Meditação do dia:
É preciso considerável humildade para nos revelarmos a outra pessoa. Estamos prestes a revelar nossos traços de caráter derrotistas, prejudiciais e nocivos. Também mencionaremos nossas forças positivas e nossos traços dignos. Precisamos fazer isso para remover as máscaras que apresentamos para o mundo. É um passo audacioso para eliminar nossa necessidade de fingir e ocultar.”
(Doze Passos para o Cristão – jornada espiritual com amor exigente, p.95)





Daily Reflection
MAY 8
A RESTING PLACE

All of A.A. 's Twelve Steps ask us to go contrary to our natural desires . . . they all deflate our egos. When it comes to ego deflation, few Steps are harder to take than Five. But scarcely any Step is more necessary to longtime sobriety and peace of mind than this one.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 55
 
After writing down my character defects, I was unwilling to talk about them, and decided it was time to stop carrying this burden alone. I needed to confess those defects to someone else. I had read—and been told—I could not stay sober unless I did. Step Five provided me with a feeling of belonging, with humility and serenity when I practiced it in my daily living. It was important to admit my defects of character in the order presented in Step Five: "to God, to ourselves and to another human being." Admitting to God first paved the way for admission to myself and to another person. As the taking of the Step is described, a feeling of being at one with God and my fellow man brought me to a resting place where I could prepare myself for the remaining Steps toward a full and meaningful sobriety.


quinta-feira, 7 de maio de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 07/05


7 DE MAIO
RESPEITO PELOS OUTROS

 Estas partes de nossa história deixamo-las para contar a uma pessoa que as compreenda e que seja sincera. A regra é sermos duros conosco mesmos, mas sempre termos consideração pelos outros.
ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.95 ou p.103

    Respeito pelos outros é a lição que aprendi desta passagem.
    Devo fazer qualquer coisa para me libertar, se eu desejo encontrar esta paz de espírito que tenho procurado por tanto tempo. Contudo, nada disto deve ser feito às custas dos outros. Egoísmo não tem lugar na maneira de vida de A.A.
    Quando faço meu Quinto Passo, é mais sábio escolher uma pessoa com quem compartilho objetivos comuns, porque se essa pessoa não me entende, meu progresso espiritual pode ser retardado e posso estar em perigo de recair. Assim, peço orientação divina antes de escolher o homem ou a mulher que terá a minha confiança.
______ 
Meditação do dia:
O alcoólico é como um furacão, arrastando em seu caminho as vidas do outros. Corações são dilacerados, relações são rompidas, afetos são destruídos. Hábitos egoístas e sem consideração tumultuam os lares.”
(Na Opinião do Bill, p.227)





Daily Reflection
MAY 7
RESPECT FOR OTHERS


Such parts of our story we tell to someone who will understand, yet be unaffected. The rule is we must be hard on ourself, but always considerate of others.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 74


Respect for others is the lesson that I take out of this passage. I must go to any lengths to free myself if I wish to find that peace of mind that I have sought for so long. However, none of this must be done at another's expense. Selfishness has no place in the A.A. way of life.
    When I take the Fifth Step it's wiser to choose a person with whom I share common aims because if that person does not understand me, my spiritual progress may be delayed and I could be in danger of a relapse. So I ask for divine guidance before choosing the man or woman whom I take into my confidence.