sábado, 23 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 23/8

23 DE AGOSTO
TRAZENDO A MENSAGEM PARA O LAR

Somos capazes de tratar os nossos familiares, já bastante perturbados, com o mesmo espírito de amor e tolerância com que tratamos nossos companheiros do Grupo de A.A.?

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.99

    Os membros de minha família sofrem os efeitos de minha doença. Amá-los e aceitá-los como eles são – como amo e aceito os membros de A.A. - provoca um retorno de amor, tolerância e harmonia para a minha vida. Usar de cortesia normal e respeitar os limites pessoais dos outros, são práticas necessárias em todos os aspectos de minha vida.
______

Meditação do dia:
Neste tipo de ambiente, os membros da família armam-se para enfrentar as decepções, os conflitos e os riscos de um perigo potencial. Eles se preparam para os dramas que padecerão como vítimas e testemunhas. No dia seguinte, tentam consertar os estragos e acreditar que não foi nada.”
(Como Curar-se das Consequências de Pais Alcoólatras – Paulette Chayer Gélineau e Fabienne Moreau, p.36)

Daily Reflection
AUGUST 23
BRINGING THE MESSAGE HOME

Can we bring the same spirit of love and tolerance into our sometimes deranged family lives that we bring to our A.A. group?
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, pp. 111-12

My family members suffer from the effects of my disease. Loving and accepting them as they are— just as I love and accept A.A. members—fosters a return of love, tolerance and harmony to my life. Using common courtesy and respecting others' personal boundaries are necessary practices for all areas of my life.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 22/8

22 DE AGOSTO

PROCURANDO A ESTABILIDADE EMOCIONAL

Ao desenvolvermos mais ainda, descobrimos que o próprio Deus, sem dúvida, é a melhor fonte de estabilidade emocional. Descobrimos que a dependência de Sua absoluta justiça, de Seu perdão e amor era saudável, e que funcionaria quando tudo o mais fracassasse. Se realmente dependêssemos de Deus, seria difícil para nós bancarmos o deus perante nossos semelhantes, e nem sentiríamos a necessidade de nos apoiarmos totalmente na proteção e no cuidado dos outros.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.103

    Durante toda minha vida, dependi das pessoas para minhas necessidades emocionais e de segurança, mas hoje não posso mais viver dessa maneira. Pela graça de Deus admiti minha impotência perante pessoas, lugares e coisas. Tinha sido realmente “um dependente de pessoas”: onde quer que fosse precisava haver alguém que prestasse alguma atenção a mim.
   Era o tipo de atitude que somente piorava as coisas, porque quanto mais dependia dos outros e exigia atenção, menos recebia.
  Parei de acreditar que qualquer poder humano poderia me libertar desse sentimento vazio. Embora permaneça um frágil ser humano que precisa praticar os Passos de A.A. para colocar este princípio acima da personalidade, é somente um Deus amoroso quem pode me dar a paz interior e a estabilidade emocional.
______

Meditação do dia:
Um número razoável desses alcoólicos continua atormentado pela triste convicção de que, se algum dia aproximar-se de A.A., será pressionado no sentido de obedecer a alguma determinada espécie de fé ou teologia. Essas pessoas simplesmente não perceberam que a Fé nunca foi uma exigência para a filiação em A.A., que a sobriedade pode ser conseguida com um mínimo de Fé facilmente aceitável e que nosso conceito de um poder superior de Deus, na forma em que O concebemos, permite a todos uma escolha quase ilimitada no que diz respeito à crença e à ação espirituais.” (O Melhor de Bill, p.4 e 5)

Daily Reflection
AUGUST 22
SEEKING EMOTIONAL STABILITY

When we developed still more, we discovered the best possible source of emotional stability to be God Himself. We found that dependence upon His perfect justice, forgiveness, and love was healthy, and that it would work where nothing else would. If we really depended upon God, we couldn't very well play God to our fellows nor would we feel the urge wholly to rely on human protection and care.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 116

All my life I depended on people for my emotional needs and security, but today I cannot live that way anymore. By the grace of God, I have admitted my powerlessness over people, places and things.
     I had been a real "people addict"; wherever I went there had to be someone who would pay some kind of attention to me. It was the kind of attitude that could only get worse, because the more I depended on others and demanded attention, the less I received.
    I have given up believing that any human power can relieve me of that empty feeling. Although I remain a fragile human being who needs to work A.A.'s Steps to keep this particular principle before my personality, it is only a loving God who can give me inner peace and emotional stability.


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.:21/8

21 DE AGOSTO
NÓS APENAS TENTAMOS

Minha estabilidade se originou em tentar dar, não em exigir que me dessem algo em troca.

O MELHOR DO BILL, p.53

    Enquanto eu tento, com todo meu coração e minha alma, transmitir para os outros o que foi transmitido para mim, e não exigir nada em troca, a vida é boa para mim.
    Antes de entrar no programa de Alcoólicos Anônimos, nunca fui capaz de dar sem exigir alguma coisa de volta. Mal eu sabia que, uma vez que comece a dar livremente de mim, começarei a receber, sem nunca esperar ou exigir qualquer coisa. Hoje, o que recebo é a dádiva da “estabilidade”, como diz Bill: estabilidade em meu programa de A.A. e estabilidade dentro de mim mesmo: mas acima de tudo, estabilidade em meu relacionamento com meu Poder Superior, a quem escolho chamar de “Deus”.
______

Meditação do dia:
Nada disso será possível se confiarmos em nossa força. Deus sabe como lutamos com essas coisas e aguarda nosso sincero clamor por ajuda.”
(Doze Passos para os Cristãos – jornada espiritual com amor-exigente, p.127)

Daily Reflection
AUGUST 21
WE JUST TRY

My stability came out of trying to give, not out of demanding that I receive.
THE BEST OF BILL, pp. 46-47

As long as I try, with all my heart and soul, to pass along to others what has been passed along to me, and do not demand anything in return, life is good to me. Before entering this program of Alcoholics Anonymous I was never able to give without demanding something in return. Little did I know that, once I began to give freely of myself, I would begin to receive, without ever expecting or demanding anything at all. What I receive today is the gift of "stability," as Bill did: stability in my A.A. program; within myself; but most of all, in my relationship with my Higher Power, whom I choose to call God.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 20/8

20 DE AGOSTO

EM DIREÇÃO À LIBERDADE EMOCIONAL

Em vista de que as relações deficientes com outras pessoas quase sempre foram a causa imediata de nossas mágoas, inclusive de nosso alcoolismo, nenhum campo de investigação poderia render resultados mais satisfatórios e valiosos do que este.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.72

    A boa disposição é uma coisa peculiar para mim porque com o tempo, parece vir primeiro com consciência e, depois com uma sensação de desconforto, fazendo-me querer tomar alguma decisão. Quando reflito em praticar o Oitavo Passo, minha disposição de fazer reparações aos outros vem como um desejo de perdão, a outros e a mim mesmo. Senti o perdão para os outros após tornar-me cônscio de minha parte nas dificuldades de relacionamentos. Desejava sentir a paz e a serenidade descritas nas promessas. Praticando os primeiros Sete Passos, fiquei sabendo quem tinha prejudicado e que eu tinha sido meu pior inimigo. A fim de restaurar meus relacionamentos com meus semelhantes, sabia que precisava mudar. Desejava viver em harmonia comigo mesmo e com os outros, para que pudesse também ter uma vida de liberdade emocional. O começo do fim de meu isolamento – de meus companheiros e de Deus – veio quando escrevi minha relação do Oitavo Passo.
______

Meditação do dia:
Não importa como somos recebidos, precisamos estar dispostos a prosseguir com nossa reparação que é principalmente para nosso benefício, não para o benefício dos que prejudicamos.”
(Doze Passos para os Cristãos – jornada espiritual com amor-exigente, p.124)

Daily Reflection
AUGUST 20
TOWARD EMOTIONAL FREEDOM

Since defective relations with other human beings have nearly always been the immediate cause of our woes,
including our alcoholism, no field of investigation could yield more satisfying and valuable rewards than this one.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 80

Willingness is a peculiar thing for me in that, over a period of time, it seems to come, first with awareness, but then with a feeling of discomfort, making me want to take some action. As I reflected on taking the Eighth Step, my willingness to make amends to others came as a desire for forgiveness, of others and myself. I felt forgiveness toward others after I became aware of my part in the difficulties of relationships. I wanted to feel the peace and serenity described in the Promises. From working the first seven Steps, I became aware of whom I had harmed and that I had been my own worst enemy. In order to restore my
relationships with my fellow human beings, I knew I would have to change. I wanted to learn to live in harmony with myself and others so that I could also live in emotional freedom. The beginning of the end to my isolation— from my fellows and from God—came when I wrote my Eighth Step list.


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 19/8

19 DE AGOSTO
UM QUADRO DE REFERÊNCIA

Voltemos mais uma vez à nossa relação (inventário). Esquecendo os maus tratos que os outros praticaram, procuramos resolutamente nossos próprios erros. Onde fomos egoístas, desonestos, interesseiros e medrosos?

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.87 e 88 ou p.96 e 97

     Existe uma liberdade maravilhosa em não precisar de aprovação constante dos colegas de serviço ou das pessoas que eu amo. Gostaria de ter conhecido a respeito deste Passo antes, porque uma vez que desenvolvi um quadro de referência, me senti capaz de fazer a coisa certa a seguir, sabendo que a ação se ajustava à situação e que esta era a coisa apropriada a fazer.
______

Meditação do dia:
Vai mudar nossa atitude e nosso modo de enfrentar a vida.” (Nona Promessa)

Daily Reflection
AUGUST 19
A FRAME OF REFERENCE

Referring to our list [inventory] again. Putting out of our minds the wrongs others had done, we resolutely looked for our own mistakes. Where had we been selfish, dishonest, self-seeking and frightened?
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 67

There is a wonderful freedom in not needing constant approval from colleagues at work or from the people I love. I wish I had known about this Step before, because once I developed a frame of reference, I felt able to do the next right thing, knowing that the action fit the situation and that it was the correct thing to do.


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 18/8

18 DE AGOSTO
SARANDO

Embora, às vezes, totalmente esquecidos, os conflitos emocionais que nos prejudicaram se ocultam e permanecem em lugar profundo, abaixo do nível de consciência.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.71

    Somente pela ação positiva posso remover os restos de culpa e vergonha causados pelo álcool. Durante meus infortúnios, quando bebia, meus amigos me diziam: “Por que você está fazendo isso? Você está somente se prejudicando.”
    Pouco eu sabia de como eram verdadeiras estas palavras.
    Embora tenha prejudicado a outros, o meu comportamento causou graves feridas à minha alma. O Oitavo Passo me ofereceu uma maneira de perdoar a mim mesmo. Aliviam-se muitos dos meus danos escondidos quando faço a relação daqueles a quem prejudiquei. Fazendo reparações, liberto a mim mesmo de pesos, contribuindo assim para minha recuperação.
______

Meditação do dia:

Mas quando ele toma consciência dessa condição, fica sob pressão para aceitar o programa de recuperação moral de A.A.” (Na Opinião do Bill) 

Daily Reflection
AUGUST 18
GETTING WELL

Very deep, sometimes quite forgotten, damaging emotional conflicts persist below the level of consciousness.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, pp. 79-80

Only through positive action can I remove the remains of guilt and shame brought on by alcohol. Throughout my misadventures when I drank, my friends would say, "Why are you doing this? You're only hurting yourself." Little did I know how true were those words. Although I harmed others, some of my behavior caused grave wounds to my soul. Step Eight provides me with a way of forgiving myself. I alleviate much of the hidden damage when I make my list of those I have hurt. In making amends, I free myself of burdens, thus contributing to my healing.

domingo, 17 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 17/8

17 DE AGOSTO

REPARANDO O DANO

Em muitas instâncias descobriremos que, mesmo que o dano causado aos outros não tenha sido grande, o dano emocional que causamos a nós mesmos foi enorme.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.71

     Você já pensou que o dano causado a um sócio nos negócios ou talvez a um membro da família foi tão leve que não merece na realidade um pedido de desculpas, porque eles nem vão se lembrar do fato? Se essa pessoa e o erro feito a ela, continuam vindo ao pensamento, causando inquietação ou talvez um sentimento de culpa, então eu coloco o nome desta pessoa no topo da minha “relação de reparações” e me predisponho a fazer uma apologia sincera, sabendo que me sentirei calmo e relaxado sobre essa pessoas, assim que me sentirei calmo e relaxado sobre essa parte importante de minha recuperação esteja cumprida.
______

Meditação do dia:
À medida que sou reduzido ao meu tamanho e estatura corretos, minha autocentralização e minha importância tornam-se divertidas. (O Melhor de Bill, p.46)

Daily Reflection
AUGUST 17
RIGHTING THE HARM

In many instances we shall find that though the harm done others has not been great, the emotional harm we have done ourselves has.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 79

Have you ever thought that the harm you did a business associate, or perhaps a family member, was so slight that it really didn't deserve an apology because they probably wouldn't remember it anyway? If that person, and the wrong done to him, keeps coming to mind, time and again, causing an uneasy or perhaps guilty feeling, then I put that person's name at the top of my "amends list," and become willing to make a sincere apology, knowing I will feel calm and relaxed about that person once this very important part of my recovery is accomplished.


sábado, 16 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 16/8

16 DE AGOSTO
 EU TINHA ME DESLIGADO”

Poderíamos, então, perguntar a nós mesmos: o que queremos dizer quando falamos em “prejudicar” as outras pessoas?
      Que tipos de “danos” se fazem às pessoas, afinal? Para definir a palavra “dano” de maneira prática, poderíamos dizer que é o resultado do choque entre instintos, que causa prejuízos físicos, mentais, emocionais ou espirituais às pessoas.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 72

    Eu tinha assistido a reuniões sobre o Oitavo Passo, sempre pensando: “Realmente não magoei muitas pessoas, magoei principalmente a mim mesmo”. Mas quando escrevi a minha relação, não era tão curta como pensava. Ou gostava de você, ou não gostava, ou precisava de alguma coisa de você – era simples assim. As pessoas não faziam o que eu queria e os relacionamentos íntimos ficavam na contramão devido às exigências pouco razoáveis de meus parceiros. Estes eram “pecados de omissão”? Devido à bebida eu tinha me “desligado” – nunca escrevendo, nunca telefonando de volta, nunca estando ali para outras pessoas ou tomando parte em suas vidas. Que bênção tem sido olhar estes relacionamentos, fazer meus inventários calmamente, sozinho com o Deus do meu entendimento e sair diariamente, com a disposição de ser honesto e franco em meus relacionamentos.
____Meditação do dia:
Como e quando dizemos a verdade – ou ficamos em silêncio – pode quase sempre mostrar a diferença entre a presença da verdadeira integridade e a falta dela.” (Na Opinião do Bill, p.70)
Daily Reflection
AUGUST 16
"I HAD DROPPED OUT"


We might next ask ourselves what we mean when we say that we have "harmed" other people. What kinds of "harm" do people do one another, anyway? To define the word "harm" in a practical way, we might call it the result of instincts in collision, which cause physical, mental, emotional, or spiritual damage to people.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 80


I had been to Eighth Step meetings, always thinking, "I really haven't harmed many people, mostly myself." But the time came when I wrote my list out and it was not as short as I thought it would be. I either liked you, disliked you, or needed something from you—it was that simple. People hadn't done what I wanted them to do and intimate relationships were out of hand because of my partners' unreasonable demands. Were these "sins of omission"? Because of my drinking, I had "dropped out"—never sending cards, returning calls, being there for other people, or taking part in their lives. What a grace it has been to look at these relationships, to make my inventories in quiet, alone with the God of my understanding, and to go forth daily, with a willingness to be honest and forthright in my relationships.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 15/8



15 DE AGOSTO


 NÃO MAGOAMOS NINGUÉM?

Alguns de nós, contudo, tropeçamos em um obstáculo bem diferente. Apegamo-nos à tese de que, quando bebíamos nunca ferimos ninguém, exceto nós mesmos.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.71

    Este Passo parecia muito simples. Identifiquei várias pessoas a quem tinha magoado, mas elas não estavam mais disponíveis. Porém, estava inquieto sobre o Passo e evitava conversas a respeito. Eventualmente aprendi a investigar este Passo e áreas de minha vida que me deixavam desconfortável. Minha pesquisa mostrou meus pais, que tinham sido muito magoados por eu ter ficado isolado deles; meu empregador, que se preocupava com as minhas faltas, os meus lapsos de memória, meu mau humor; os amigos, que evitava sem dar explicações. À medida que encarei a realidade dos danos que tinha feito, o Oitavo Passo assumiu um novo significado. Não estou mais desconfortável e me sinto limpo e leve.
______Meditação do dia:
Descobrimos que quando um alcoólico plantava na mente de outro a ideia da verdadeira natureza de sua doença, este jamais voltaria a ser o mesmo.” (Na Opinião do Bill, p.209)

Daily Reflection
AUGUST 15
DIDN'T WE HURT ANYBODY?

Some of us, though, tripped over a very different snag. We clung to the claim that when drinking we never hurt anybody but ourselves.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 79

This Step seemed so simple. I identified several people whom I had harmed, but they were no longer available. Still, I was uneasy about the Step and avoided conversations dealing with it. In time I learned to investigate those Steps and areas of my life which made me uncomfortable. My search revealed my parents, who had been deeply hurt by my isolation from them; my employer, who worried about my absences, my memory lapses, my temper; and the friends I had shunned, without explanation. As I faced the reality of the harm I had done, Step Eight took on new meaning. I am no longer uncomfortable and I feel clean and light.



quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.:14/8

14 DE AGOSTO
REPARANDO OS DANOS

Tentamos varrer o entulho acumulado como resultado de nosso esforço em viver na teimosia e dirigir sozinhos o espetáculo. Se não temos vontade de fazê-lo, pedimos para que ela nos chegue.
Lembremo-nos de que, a princípio, estávamos dispostos a fazer todo o possível para vencer o álcool.
ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.97 ou p.105

      Fazer uma relação das pessoas a quem prejudiquei não foi uma coisa particularmente difícil. Elas apareceram no meu inventário do Quarto Passo: pessoas de quem eu tinha ressentimentos, reais ou imaginários e a quem tinha magoado por atos de retaliação. Para minha recuperação ser completa, acreditava que não era importante para aqueles que legitimamente tinham me magoado, fazer-me reparações.
      O que é importante no meu relacionamento com Deus é que permaneço perante Ele, sabendo que fiz todo o possível para reparar os danos que causei.
______

Meditação do dia:
Reagimos mais fortemente às frustrações do que as pessoas normais. Revivendo esses episódios e discutindo-os em estreita confiança com outra pessoa, podemos reduzir seu tamanho e portanto seu poder inconsciente.” (Na Opinião do Bill, p.111)

Daily Reflection
AUGUST 14
REPAIRING THE DAMAGE

We attempt to sweep away the debris which has accumulated out of our effort to live on self-will and run the show ourselves. If we haven't the will to do this, we ask until it comes. Remember it was agreed at the beginning we would go to any lengths for victory over alcohol.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 76

Making a list of people I had harmed was not a particularly difficult thing to do. They had showed up in my Fourth Step inventory: people towards whom I had resentments, real or imagined, and whom I had hurt by acts of retaliation. For my recovery to be thorough, I believed it was not important for those who had legitimately harmed me to make amends to me. What is important in my relationship with God is that I stand before Him, knowing I have done what I can to repair the damage I have done.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 13/8

13 DE AGOSTO

UMA VASSOURA LIMPA

... e, em terceiro lugar, havendo desta forma limpado o entulho do passado, consideramos de que modo, com o novo conhecimento de nós mesmos, poderemos desenvolver as melhores relações possíveis, com todas as pessoas que conhecemos.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.69

    Quando olhei para o Oitavo Passo, tudo o que foi pedido para completar com sucesso os sete passos anteriores veio junto: coragem, honestidade, sinceridade, disposição e meticulosidade. Não poderia reunir a força requerida para esta tarefa no começo, e é por isso que está escrito neste Passo: “nos dispusemos...”
    Precisava desenvolver a coragem para começar, a honestidade para ver onde eu estava errado, um desejo sincero de colocar as coisas em ordem, precisava ser meticuloso ao fazer a relação e precisava ter disposição para assumir os riscos exigidos para a verdadeira humildade. Com a ajuda de meu Poder Superior, para desenvolver estas virtudes, completei este Passo e continuei movendo-me para adiante na minha busca de um crescimento espiritual.
______

Meditação do dia:

E há pela frente um longo período de reconstrução. Precisamos assumir o comando. Um resmungo de arrependimento, dizendo que sentimos muito, não vai resolver as coisas.” 
(Alcoólicos Anônimos, cap.6, §34)

Daily Reflection
AUGUST 13
A CLEAN SWEEP

. . . and third, having thus cleaned away the debris of the past, we consider how, with our newfound knowledge of ourselves, we may develop the best possible relations with every human being we know.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 77

As I faced the Eighth Step, everything that was required for successful completion of the previous seven Steps came together: courage, honesty, sincerity, willingness and thoroughness. I could not muster the strength required for this task at the beginning, which is why this Step reads "Became willing. . . ."
I needed to develop the courage to begin, the honesty to see where I was wrong, a sincere desire to set things right, thoroughness in making a list, and willingness to take the risks required for true humility. With the help of my Higher Power in developing these virtues, I completed this Step and continued to move forward in my quest for spiritual growth.


terça-feira, 12 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 12/8

12 DE AGOSTO
OLHAMOS PARA O PASSADO

Primeiro, olhamos para o passado e tentamos descobrir onde erramos: então, fazemos uma enérgica tentativa de reparar os danos que tenhamos causado.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.69

    Como um viajante na nova e excitante viagem de recuperação de A.A., experimentei uma recém-achada paz de espírito, e o horizonte apareceu claro e brilhante, ao invés de obscuro e confuso. Rever minha vida para descobrir onde tinha errado parecia ser uma tarefa árdua e perigosa. Era doloroso parar e olhar para trás. Tinha medo de tropeçar! Não poderia tirar o passado da minha mente e apenas viver em meu novo presente dourado? Percebi que aqueles, a quem tinha prejudicado no passado, permaneciam entre mim e meu desejo de continuar minha viagem para a serenidade. Tive que pedir por coragem para encarar essas pessoas em minha vida que ainda viviam na minha consciência, para reconhecer e tratar a culpabilidade que suas presenças produziam em mim. Tive que olhar aos danos que fiz e tornar-me disposto a fazer reparações. Somente então minha viagem do espírito poderia recomeçar.
______

Meditação do dia:
Alguém duvida que A.A. não passe de um poço transbordante de dor e conflito? A resposta é: 'Claro que não'. Em grande parte, nós AAs realmente encontramos a paz.”
(O Melhor de Bill, p.44)

Daily Reflection
AUGUST 12
A LOOK BACKWARD

First, we take a look backward and try to discover where we have been at fault; next we make a vigorous attempt to repair the damage we have done; . . .
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 77

As a traveler on a fresh and exciting A.A. journey of recovery, I experienced a newfound peace of mind and the horizon appeared clear and bright, rather than obscure and dim. Reviewing my life to discover where I had been at fault seemed to be such an arduous and dangerous task. It was painful to pause and look backward. I was afraid I might stumble! Couldn't I put the past out of my mind and just live in my newgolden present? I realized that those in the past whom I had harmed stood between me and my desire to continue my movement toward serenity. I had to ask for courage to face those persons from my life who still
lived in my conscience, to recognize and deal with the guilt that their presence produced in me. I had to look at the damage I had done, and become willing to make amends. Only then could my journey of the spirit resume.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 11/8

11 DE AGOSTO
REMOVENDO O “VENENO”

O inventário moral é um exame ousado dos danos que nos ocorreram, durante a vida, e um sincero esforço para vê-los em sua verdadeira perspectiva. Ele tem o efeito de tirar o “veneno” de dentro de nós, a substância emocional que abate ou inibe ainda mais.”

NA OPINIÃO DO BILL, p.140

    Minha lista do Oitavo Passo costumava lançar-me em um redemoinho de ressentimentos. Após quatro anos de sobriedade, estava bloqueado pela negação ligada a um relacionamento abrasivo ainda existente. O debate entre o medo e o orgulho diminuiu quando as palavras do Passo se moveram de minha cabeça para meu coração. Pela primeira vez em anos abri minha caixa de pintura e esparramei uma raiva honesta, uma explosão de vermelhos, pretos e amarelos. Enquanto olhava o desenho, lágrimas de alegria e alívio desciam pelo meu rosto. Na minha doença, eu tinha abandonado minha arte, uma punição autoinfligida muito maior que qualquer outra de fora. Na minha recuperação, aprendi que a dor de meus defeitos é a própria substância que Deus usa para limpar meu caráter e me deixar livre.
______

Meditação do dia:
Quando a vida nos apresentar um ruinoso conflito como esse, a culpa não será de todo nossa se ficarmos confusos. Na realidade, nossa primeira responsabilidade será admitir que estamos confusos. Poderemos ter que admitir que, por um breve momento, perdemos toda a capacidade de diferenciar o certo do errado.”
(O Melhor de Bill, p.32)

Daily Reflection
AUGUST 11
REMOVING "THE GROUND GLASS"

The moral inventory is a cool examination of the damages that occurred to us during life and a sincere effort to look at them in a true perspective. This has the effect of taking the ground glass out of us, the emotional substance that still cuts and inhibits.
AS BILL SEES IT, p. 140

My Eighth Step list used to drag me into a whirlpool of resentment. After four years of sobriety, I was blocked by denial connected with an ongoing abusive relationship. The argument between fear and pride eased as the words of the Step moved from my head to my heart. For the first time in years I opened my box of paints and poured out an honest rage, an explosion of reds and blacks and yellows. As I looked at the drawing, tears of joy and relief flowed down my cheeks. In my disease, I had given up my art, a selfinflicted punishment far greater than any imposed from outside. In my recovery, I learned that the pain of my defects is the very substance God uses to cleanse my character and to set me free.

domingo, 10 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 10/8

10 AGOSTO
REDOBRANDO NOSSOS ESFORÇOS

Até certo ponto, tal exame já foi feito quando fez o inventário moral, mas agora chegou a hora em que deveria redobrar seus esforços para ver quantas pessoas feriu e de que forma.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES,

    À medida que continuo a crescer em sobriedade, me torno mais consciente de mim mesmo como uma pessoa de valor. Neste processo, sou mais capaz de ver os outros como pessoas e, com isto, vem a percepção de que são pessoas a quem magoei nos meus dias de bebida. Eu não mentia apenas, mentia sobre Tom.
    Não enganava apenas, enganava Joe. O que parecia serem atos impessoais, foram na realidade afrontas pessoais, porque foram pessoas – pessoas de valor – a quem prejudiquei. Preciso fazer alguma coisa a respeito das pessoas que magoei para que possa desfrutar de uma sobriedade cheia de paz.
______

Meditação do dia:
O modo como a verdade nos torna livres é algo que nós AAs podemos compreender bem. Ela cortou os grilhões que nos prendiam ao álcool.” (Na Opinião do Bill, p.70)

Daily Reflection

AUGUST 10
REDOUBLING OUR EFFORTS

To a degree, he has already done this when taking moral inventory, but now the time has come when he ought to redouble his efforts to see how many people he has hurt, and in what ways.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 77

As I continue to grow in sobriety, I become more aware of myself as a person of worth. In the process, I am better able to see others as persons, and with this comes the realization that these were people whom I had hurt in my drinking days. I didn't just lie, I lied about Tom. I didn't just cheat, I cheated Joe. What were seemingly impersonal acts, were really personal affronts, because it was people —people of worth—whom I had harmed. I need to do something about the people I have hurt so that I may enjoy a peaceful sobriety.

sábado, 9 de agosto de 2014

Reflexões Diárias de A.A.: 09/8

9 AGOSTO

... DE TODAS AS PESSOAS QUE TÍNHAMOS PREJUDICADO...”

... e nos dispusemos a reparar os danos causados a elas.”

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.69

    Uma das palavras-chave do Oitavo Passo é a palavra “todos”.
    Não tenho a liberdade de selecionar alguns nomes para a relação e deixar outros de lado. É uma relação de todas as pessoas a quem prejudiquei. Posso ver imediatamente que este Passo está ligado ao perdão porque, se não estou disposto a perdoar alguém, há poucas chances de colocar seu nome na lista. Antes de colocar o primeiro nome na lista, fiz uma pequena oração: “Perdoo a qualquer um e a todos que tenham me prejudicado, em qualquer tempo e sob quaisquer circunstâncias”.
    É bom para mim contemplar uma pequena, mas muito significante palavra, cada vez que é feita Oração do Pai Nosso. A palavra é “como”. Eu digo, “Perdoai a nossas ofensas, assim “como” nós perdoamos aqueles que nos ofenderam”. Neste caso, “como” significa “da mesma maneira”. Estou pedindo para ser perdoado da mesma maneira que perdoo os outros.
    Quando digo esta parte da oração, se estou abrigando ódio ou ressentimentos, estou chamando por mais ressentimentos, quando deveria estar chamando o espírito do perdão.
______Meditação do dia:
Em muitos casos descobrimos que, embora o dano causado aos outros não tenha sido grande, o dano que causamos a nós mesmos o foi.” (Na Opinião do Bill, p.111)

Daily Reflection

AUGUST 9
". . . OF ALL PERSONS WE HAD HARMED"

. . . and became willing to make amends to them all.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 77

One of the key words in the Eighth Step is the word all. I am not free to select a few names for the list and to disregard others. It is a list of all persons I have harmed. I can see immediately that this Step entails forgiveness because if I'm not willing to forgive someone, there is little chance I will place his name on the list. Before I placed the first name on my list, I said a little prayer: "I forgive anyone and everyone who has ever harmed me at any time and under any circumstances."
     It is well for me to contemplate a small, but very significant, two-letter word every time the Lord's Prayer is said. The word is as. I ask, "Forgive us our trespasses, as we forgive those who trespass against us." In this case, as means, "in the same manner." I am asking to be forgiven in the same manner that I forgive others. As I say this portion of the prayer, if I am harboring hatred or resentment, I am inviting more resentment when I should be calling on the spirit of forgivenes.