sábado, 29 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 29/04

29 DE ABRIL
 AUTONOMIA DE GRUPO

Alguns podem pensar que temos levado ao extremo o princípio da autonomia dos Grupos. Por exemplo, em sua “forma longa” original, a Quarta Tradição declara: “Quando duas ou três pessoas estiverem reunidas com o propósito de alcançar a sobriedade, podem chamar a si mesmos de um Grupo de A.A., contanto que como Grupo não tenham outra afiliação.”... Mas essa extrema liberdade não é tão perigosa como parece.
 A.A. ATINGE A MAIORIDADE, p.95 ou p.92

    Como um alcoólico ativo, eu abusei de toda a liberdade que a vida me permitiu. Como podia A.A. esperar que eu respeitasse a “ultraliberdade” dada pela Quarta Tradição? Aprender a respeito tornou-se um trabalho para toda a vida.
     A.A. me faz aceitar totalmente a necessidade de disciplina e, se eu não a obtivesse de dentro de mim mesmo, então pagaria pelas consequências. O mesmo se aplica também para os Grupos. A Quarta Tradição me indica uma direção espiritual, apesar das minhas inclinações alcoólicas.
______

Meditação do dia:
A vida de cada AA e de cada grupo é construída ao redor de nossos Doze Passos e Doze Tradições. Sabemos muito bem que a punição para a desobediência sistemática desses princípios é a morte do indivíduo e a dissolução do Grupo. Mas a força maior que contribui para a unidade de A.A. é o amor irresistível que temos por nossos companheiros e por nossos princípios.”
(Na Opinião do Bill, p.273)

 Daily Reflection


APRIL 29
GROUP AUTONOMY
Some may think that we have carried the principle of group autonomy to extremes. For example, in its original "long form," Tradition Four declares: "Any two or three gathered together for sobriety may call themselves an A.A. group, provided that as a group they have no other affiliation. "* . . . But this ultra-liberty is not so risky as it looks.
A.A. COMES OF AGE PP 104-05


As an active alcoholic, I abused every liberty that life afforded. How could A.A. expect me to respect the "ultraliberty" bestowed by Tradition Four? Learning respect has become a lifetime job.
A.A. has made me fully accept the necessity of discipline and that, if I do not assert it from within, then I will pay for it. This applies to groups too. Tradition Four points me in a spiritual direction, in spite of my alcoholic inclinations.

 * This is a misquote; Bill quoted the Third Tradition, but was referring to Tradition Four.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 28/04

28 DE ABRIL
 DOIS “MAGNÍFICOS PADRÕES”

Todo o progresso de A.A. pode ser expressado em apenas duas palavras: humildade e responsabilidade. Todo o nosso desenvolvimento espiritual pode ser medido, com precisão, conforme nosso grau de adesão a estes magníficos padrões.
 NA OPINIÃO DO BILL, p. 271

   Conhecer e respeitar as opiniões, talentos e prerrogativas dos outros, e aceitar estar errado mostra-me o caminho da humildade.
  Praticar os princípios de A.A. em todos os meus assuntos me leva a ser responsável. Respeitar estes preceitos dá crédito à Quarta Tradição – e a todas as outras Tradições da Irmandade.
   Alcoólicos Anônimos tem desenvolvido uma filosofia de vida cheia de motivações válidas, rica dos mais altos e relevantes princípios e valores éticos, uma maneira de vida que pode ser estendida além dos limites da população alcoólica. Para honrar estes preceitos, preciso somente rezar e cuidar de cada companheiro como se cada um fosse meu irmão.
______

Meditação do dia:
Foi assim que, sob o manto da Quarta Tradição, um grupo de A.A. exerceu o seu direito de errar. Ademais, tinha ele feito um grande favor a Alcoólicos Anônimos, pois se dispusera humildemente a fazer uso da lição que aprendera.”
(Os Doze Passos e as Doze Tradições, p.134)


Daily Reflection


APRIL 28
TWO "MAGNIFICENT STANDARDS"


All A.A. progress can be reckoned in terms of just two words: humility and responsibility. Our whole spiritual development can be accurately measured by our degree of adherence to these magnificent standards.
AS BILL SEES IT, p. 271



To acknowledge and respect the views, accomplishments and prerogatives of others and to accept being wrong shows me the way of humility. To practice the principles of A.A. in all my affairs guides me to be responsible. Honoring these precepts gives credence to Tradition Four—and to all other Traditions of the Fellowship. Alcoholics Anonymous has evolved a philosophy of life full of valid motivations, rich in highly relevant principles and ethical values, a view of life which can be extended beyond the confines of the alcoholic population. To honor these precepts I need only to pray, and care for my fellow man as if each one were my brother. 

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 27/04

27 DE ABRIL
 DESCOBERTAS ALEGRES

Reconhecemos que sabemos pouco. Deus, porém, constantemente nos revelará cada vez mais. Pergunte-lhe, na sua meditação matinal, o que você poderá fazer cada dia pelo homem ainda doente. As respostas virão se você estiver mesmo preparado. Mas, evidentemente, você não poderá transmitir algo que não tenha. Procure fazer com que sua relação com Ele seja certa, e grandes eventos acontecerão a você e a inúmeros outros. Esta é a Grande Realidade para nós.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.176 e 177 ou p.191 e 192

    Sobriedade é uma jornada de descobertas alegres. Cada dia traz nova experiência, percepção, maiores esperanças, fé mais profunda, tolerância aumentada. Devo manter estes atributos, ou não terei nada para transmitir.
   Grandes eventos para este alcoólico em recuperação são as alegrias cotidianas de poder viver outro dia na graça de Deus.
______

Meditação do dia:
...a espiritualidade é um processo bastante árduo, cheio de dúvidas e desconfianças...”
(Espiritualidade para Céticos – Robert C. Solomon, p.289)

 Daily Reflection


APRIL 27
JOYFUL DISCOVERIES


We realize we know only a little. God will constantly disclose more to you and to us. Ask Him in your morning meditation what you can do each day for the man who is still sick. The answers will come, if your own house is in order. But obviously you cannot transmit something you haven't got. See to it that your relationship with Him is right, and great events will come to pass for you and countless others. This is the Great Fact for us.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 164


Sobriety is a journey of joyful discovery. Each day brings new experience, awareness, greater hope, deeper faith, broader tolerance. I must maintain these attributes or I will have nothing to pass on.

      Great events for this recovering alcoholic are the normal everyday joys found in being able to live another day in God's grace. 

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Reflexões diárias de A.A.: 26/04

26 DE ABRIL
 FELICIDADE NÃO É O PONTO PRINCIPAL

Não acho que a felicidade ou a infelicidade seja o ponto principal. Como enfrentamos os problemas que chegam a nós?
   Como aprendemos através deles, e transmitimos o que aprendemos aos outros, se é que querem aprender?
 NA OPINIÃO DO BILL, p.306

    Na minha busca “para ser feliz” mudei de empregos, casei e me divorciei, tentei curas geográficas e me endividei – financeiramente, emocionalmente e espiritualmente. Em A.A. estou aprendendo a crescer. Ao invés de exigir que pessoas, lugares e coisas me façam feliz, posso pedir a Deus que me faça aceitar a mim mesmo. Quando um problema me domina, os Doze Passos de A.A. me ajudam a crescer através da dor. O conhecimento que ganho pode ser um presente para outros que sofrem do mesmo problema. Como disse Bill: “Quando chega a dor, se espera que aprendamos a lição com boa vontade, e ajudamos os outros a aprenderem. Quando a felicidade chega, a aceitamos como uma dádiva e agradecemos a Deus por obtê-la.”
______
Meditação do dia:
Há ocasiões em que utilizamos um bem como se fosse um mal e, ao contrário, um mal como se fosse um bem.”
(Epicuro [filósofo grego] – Carta sobre a Felicidade)


Daily Reflection


APRIL 26
HAPPINESS IS NOT THE POINT
I don't think happiness or unhappiness is the point. How do we meet the problems we face? How do we best learn from them and transmit what we have learned to others, if they would receive the knowledge?
AS BILL SEES IT, p. 306



In my search "to be happy," I changed jobs, married and divorced, took geographical cures, and ran myself into debt—financially, emotionally and spiritually. In A.A., I'm learning to grow up. Instead of demanding that people, places and things make me happy, I can ask God for selfacceptance. When a problem overwhelms me, A.A.'s Twelve Steps will help me grow through the pain. The knowledge I gain can be a gift to others who suffer with the same problem. As Bill said, "When pain comes, we are expected to learn from it willingly, and help others to learn. When happiness comes, we accept it as a gift, and thank God for it." (As Bill Sees It, p. 306) 

terça-feira, 25 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 25/04

25 DE ABRIL
 ENTRANDO NUMA NOVA DIMENSÃO

Nos últimos estágios de nosso alcoolismo ativo, a vontade de resistir já não existe. Portanto, quando admitimos a derrota total e quando nos tornamos inteiramente dispostos a tentar os princípios de A.A., nossa obsessão desaparece e entramos numa nova dimensão – a liberdade sob a vontade de Deus, como nós O concebemos.
 NA OPINIÃO DO BILL, p.283

    Sou feliz por estar entre aqueles que tiveram esta impressionante transformação de suas vidas. Quando entrei pelas portas de A.A., sozinho e desesperado, estava vencido e disposto a acreditar em qualquer coisa que ouvisse. Uma das coisas que ouvi foi: “Esta pode ser sua última ressaca, ou você pode continuar dando voltas e mais voltas.”
     O homem que disse isto estava muito melhor do que eu, obviamente. Gostei da ideia de admitir minha derrota e, desde então estou sempre livre! Meu coração ouviu o que minha mente não podia ouvir: “Ser impotente perante o álcool não é muito.” Estou livre e sou grato!
______

Meditação do dia:
Como poderemos então trabalhar cada vez mais para reduzir nossa culpa, revolta e orgulho?”
(O Melhor de Bill, p.38)

Daily Reflection


APRIL 25
ENTERING A NEW DIMENSION


In the late stages of our drinking the will to resist has fled. Yet when we admit complete defeat and when we become entirely ready to try A. A. principles, our obsession leaves us and we enter a new dimension—freedom under God as we understand Him.
AS BILL SEES IT, p. 283



I am fortunate to be among the ones who have had this awesome transformation in my life. When I entered the doors of A.A., alone and desperate, I had been beaten into willingness to believe anything I heard. One of the things I heard was, "This could be your last hangover, or you can keep going round and round." The man who said this obviously was a whole lot better off than 1.1 liked the idea of admitting defeat and I have been free ever since! My heart heard what my mind never could: "Being powerless over alcohol is no big deal." I'm free and I'm grateful! 

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 24/04

24 DE ABRIL
 APRENDENDO A NOS AMAR

O alcoolismo significava solidão, embora estivéssemos cercados de pessoas que nos amavam... procuramos encontrar a segurança emocional dominando ou fazendo-nos dependentes dos outros... Ainda procuramos inutilmente obter segurança, através de alguma classe de dominação ou de dependência.
 NA OPINIÃO DO BILL, p. 252

    Quando fiz meu inventário pessoal, descobri que tinha relacionamentos doentios com muitas pessoas na minha vida; meus amigos e minha família, por exemplo. Eu sempre me sentia isolado e solitário. Bebia para entorpecer a dor emocional.
     Foi permanecendo sóbrio, tendo um bom padrinho e praticando os Doze Passos, que fui capaz de levantar minha baixa autoestima. Primeiro os Doze Passos me ensinaram a ser meu próprio melhor amigo e então, quando fui capaz de amar a mim mesmo, pude alcançar e amar os outros.
______

Meditação do dia:
Não é o que sabemos ou não sabemos que dificulta nossa recuperação, mas o que pensamos ser a verdade, a realidade.”
(O Caminho dos Doze Passos – John E. Burns, p.82)

 Daily Reflection


APRIL 24
LEARNING TO LOVE OURSELVES


Alcoholism was a lonely business, even though we were surrounded by people who loved us . . . We were trying to find emotional security either by dominating or by being dependent upon others . . . We still vainly tried to be secure by some unhealthy sort of domination or dependence.
AS BILL SEES IT, p. 252


When I did my personal inventory I found that I had unhealthy relationships with most people in my life—my friends and family, for example. I always felt isolated and lonely. I drank to dull emotional pain.

It was through staying sober, having a good sponsor and working the Twelve Steps that I was able to build up my low self-esteem. First the Twelve Steps taught me to become my own best friend, and then, when I was able to love myself, I could reach out and love others.

domingo, 23 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 23/04


23 DE ABRIL

 A.A. NÃO É UM REMÉDIO PARA TODOS OS MALES

Seria falso orgulho acreditar-se que Alcoólicos Anônimos é um remédio para todos os males, mesmo para o alcoolismo.
 NA OPINIÃO DO BILL, p. 285

    Nos meus primeiros anos de sobriedade estava cheio de orgulho, pensando que A.A. era a única fonte de tratamento para uma vida boa e feliz. A.A. era certamente o ingrediente básico para minha sobriedade e, mesmo hoje, com cerca de doze anos de recuperação, estou muito envolvido em reuniões, apadrinhamento e serviço. Durante os quatro primeiros anos de minha recuperação, achei necessário procurar ajuda profissional porque minha saúde emocional estava precária. Existem aquelas pessoas que também encontraram sobriedade e felicidade em outras organizações. A.A. me ensinou que tinha a opção de fazer tudo o que fosse necessário para enriquecer minha sobriedade. A.A. pode não ser um remédio para todos os males, mas é o centro de minha vida sóbria.
______

Meditação do dia:
O objetivo principal da hospitalização não é o de poupar os nossos candidatos da angústia de permanecerem sóbrios; seu verdadeiro objetivo é fazê-lo o mais receptivo possível ao nosso programa de A.A.”
(A Linguagem do Coração, p.61)


Daily Reflection


APRIL 23
A.A. IS NOT A CURE-ALL


It would be a product of false pride to claim that A. A. is a cure-all, even for alcoholism
AS BILL SEES IT, p. 285



In my early years of sobriety I was full of pride, thinking that A. A. was the only source of treatment for a good and happy life. It certainly was the basic ingredient for my sobriety and even today, with over twelve years in the program, I am very involved in meetings, sponsorship and service. During the first four years of my recovery, I found it necessary to seek professional help, since my emotional health was extremely poor. There are those folks too, who have found sobriety and happiness in other organizations. A.A. taught me that I had a choice: to go to any lengths to enhance my sobriety. A.A. may not be a cure-all for everything, but it is the center of my sober living.

sábado, 22 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 22/04

22 DE ABRIL
 SOLO NOVO... RAÍZES NOVAS

Tenho excelentes razões para saber como os momentos de percepção podem construir uma vida inteira de serenidade espiritual. As raízes da realidade, suplantando as ervas daninhas neuróticas, vão promover uma base firme, apesar do furacão das forças que nos destruiriam ou que poderíamos utilizar para destruirmos a nós mesmos.
 NA OPINIÃO DO BILL, p.173

    Vim para A.A. verde – um arbusto trêmulo com as raízes expostas. Foi por sobrevivência, mas foi um começo. Estiquei-me, desenvolvi-me, retorci-me, mas com a ajuda dos outros, e no seu devido tempo meu espírito brotou de suas raízes. Estava livre. Eu agia, murchava, refletia, rezava, reagia e, iluminado repentinamente voltei a entender. Das minhas raízes os braços do espírito se alongavam em rebentos, fortes e verdes se estendendo em direção ao céu.
   Aqui na terra, Deus, incondicionalmente, continua o legado do amor maior. Minha vida em A.A. colocou-me “sobre um novo terreno... onde se agarravam fortemente minhas raízes” (Alcoólicos Anônimos, p.35 ou p.42).
______

Meditação do dia:
Não pode haver nenhuma humildade absoluta para nós, seres humanos. Na melhor das hipóteses, podemos apenas vislumbrar o significado e o esplendor desse ideal perfeito.”
(O Melhor de Bill, p.36)

 Daily Reflection


APRIL 22
NEW SOIL . . . NEW ROOTS


Moments of perception can build into a lifetime of spiritual serenity, as I have excellent reason to know, loots of reality, supplanting the neurotic underbrush, will hold fast despite the high winds of the forces which would destroy us, or which we would use to destroy ourselves.
AS BILL SEES IT, p. 173


I came to A.A. green—a seedling quivering with exposed taproots. It was for survival but it was a beginning. I stretched, developed, twisted, but with he help of others, my spirit eventually burst up from the roots. I was free. I acted, withered, went inside, prayed, acted again, understood anew, as one moment of perception struck. Up from my roots, spirit-arms lengthened into strong, green.hoots: high-springing servants stepping skyward.

Here on earth God unconditionally continues the legacy of higher love. My A.A. life put me "on a different footing . . . [my] roots grasped a new soil" (Alcoholics Anonymous, p. 12). 

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 21/04

21 DE ABRIL
 CULTIVANDO A FÉ

  Não penso que podemos fazer alguma coisa muito bem neste mundo, a não ser que nós a pratiquemos. E não acredito que nós façamos bem o programa de A.A. a não ser que pratiquemos.
   Devemos praticar... adquirir o espírito de serviço. Devemos tentar adquirir alguma fé, o que não é fácil fazer, especialmente para a pessoa que tem sido sempre muito materialista, seguindo o modelo da sociedade atual. Porém, penso que a fé pode ser, mesmo que lentamente, adquirida; ela precisa ser cultivada. Não foi fácil para mim e, suponho que é difícil para qualquer um...
 DR. BOB E OS BONS VETERANOS, p.307 e p.308 ou p.317 e p.318

      Muitas vezes o medo é a força que me impede de adquirir e cultivar o poder da fé. O medo bloqueia minha apreciação de beleza, tolerância, perdão, serviço e serenidade.
______

Meditação do dia:
Agora posso aprender com as pessoas que surgem em minha vida e crescer com elas, sem exigir delas ou de mim mesma que se cumpram expectativas injustificadas.”
(A.A. para a Mulher, p.22)
 
 Daily Reflection


APRIL 21
CULTIVATING FAITH


"I don't think we can do anything very well in this world unless we practice it And I don't believe we do A.A. too well unless we practice it. . . . We should practice . . . acquiring the spirit of service. We should attempt to acquire some faith, which isn't easily done, especially for the person who has always been very materialistic, following the standards of society today. But I think faith can be acquired; it can be acquired slowly; it has to be cultivated. That was not easy for me, and I assume that it is difficult for everyone else. ..."
DR. BOB AND THE GOOD OLDTIMERS, pp. 307-08



Fear is often the force that prevents me from acquiring and cultivating the power of faith. Fear blocks my appreciation of beauty, tolerance, forgiveness, service, and serenity. 

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 20/04

20 DE ABRIL
 AUTOEXAME

... pedimos que Deus dirija nossos pensamentos, e especialmente que sejam divorciados de autopiedade, da desonestidade do egoísmo.
ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.105 ou p.115

     Quando dita sinceramente, esta oração me ensina a ser realmente altruísta e humilde, pois, mesmo quando fazia boas ações, muitas vezes procurava aprovação e glória para mim mesmo.
    Examinando meus motivos em tudo que faço, posso prestar serviço a Deus e aos outros, ajudando-os a fazer o que eles desejam fazer. Quando coloco Deus responsável por meu pensamento, muitas preocupações desnecessárias são eliminadas e acredito que Ele me guia durante o transcurso do dia.
       Quando elimino pensamentos de autopiedade, desonestidade e de egocentrismo, encontro paz com Deus, com meus semelhantes e comigo mesmo.
______

Meditação do dia:
Mas passou-se muito tempo antes que percebêssemos que podíamos ser ainda mais arruinados pelo orgulho espiritual.”
(O Melhor de Bill, p.36 e 37)


Daily Reflection


APRIL 20
SELF-EXAMINATION


. . . we ask God to direct our thinking, especially asking that it be divorced from self-pity, dishonest or self-seeking motives.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 86


When said sincerely, this prayer teaches me to be truly unselfish and humble, for even in doing good deeds I often used to seek approval and glory for myself. By examining my motives in all that I do, I can be of service to God and others, helping them do what they want to do. When I put God in charge of my thinking, much needless worry is eliminated and I believe He guides me throughout the day.

When I eliminate thoughts of self-pity, dishonesty and self-centeredness as soon as they enter my mind, I find peace with God, my neighbor and myself. 

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 19/04

19 DE ABRIL
 IRMÃOS EM NOSSOS DEFEITOS

Nós, alcoólicos recuperados, não somos tão irmãos nas virtudes como somos em nossos defeitos e em nossas lutas comuns para vencê-los.
 NA OPINIÃO DO BILL, p. 167

   A identificação que um alcoólico tem com outro é misteriosa, espiritual – quase incompreensível. Mas ela existe. Eu a “sinto”. Hoje, sinto que posso ajudar as pessoas e que elas podem me ajudar.
   É um sentimento novo e estimulante, para mim, preocupar-me com alguém; importar-me do que eles estão sentindo, esperando, rezando; saber de suas tristezas, de suas alegrias, de seus pesares, de suas dores; desejar compartilhar estes sentimentos para que alguém possa ter alívio. Nunca soube como fazer isto – ou como tentar fazê-lo. Nunca nem sequer me preocupei. A Irmandade de A.A. e Deus estão me ensinando a preocupar-me dos outros.
______

Meditação do dia:
É o companheirismo existente em Alcoólicos Anônimos. Lá você encontrará alívio para a ansiedade, o tédio e as preocupações. Atiçará sua imaginação. Finalmente a vida fará sentido.”
(Alcoólicos Anônimos, p.166 ou p.180)


Daily Reflection

 APRIL 19
BROTHERS IN OUR DEFECTS


We recovered alcoholics are not so much brothers in virtue as we are brothers in our defects, and in our common strivings to overcome them
AS BILL SEES IT, p. 167



The identification that one alcoholic has with another is mysterious, spiritual—almost incomprehensible. But it is there. I "feel" it. Today I feel that I can help people and that they can help me. It is a new and exciting feeling for me to care for someone; to care what they are feeling, hoping for, praying for; to know their sadness, joy, horror, sorrow, grief; to want to share those feelings so that someone can have relief. I never knew how to do this—or how to try. I never even cared. The Fellowship of A.A., and God, are teaching me how to care about others. 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 18/04

18 DE ABRIL
 HONESTIDADE PRÓPRIA

A decepção dos outros está quase sempre enraizada na decepção de nós mesmos... Quando somos honestos com uma outra pessoa, isso confirma que temos sido honestos conosco e com Deus.

NA OPINIÃO DO BILL, p.17

   Quando eu bebia, enganava a mim mesmo sobre a realidade, corrigindo-a para que fosse como eu queria. Enganar os outros é um defeito de caráter – mesmo exagerando um pouco a verdade ou retificando os meus motivos para que os outros pensem bem de mim. Meu Poder Superior pode remover este defeito de caráter, mas primeiro tenho que ajudar a tornar-me disposto a receber essa ajuda, não enganando mais ninguém. Preciso lembrar-me todo dia que ao enganar a mim mesmo estou me predispondo ao fracasso ou ao desapontamento na vida e em Alcoólicos Anônimos. Um íntimo e honesto relacionamento com um Poder Superior é a única base sólida que encontrei para ser honesto comigo e com os outros.
______

Meditação do dia:
No entanto, esse pequeno fragmento de virtude facilmente conquistado gerou algumas responsabilidades interessantes.”
(O Melhor de Bill, p.24)


Daily Reflection


APRIL 18
SELF-HONESTY


The deception of others is nearly always rooted in the deception of ourselves. . . When we are honest with another person, it confirms that we have been honest with ourselves and with God.
AS BILL SEES IT, p. 17



When I was drinking, I deceived myself about reality, rewriting it to what I wanted it to be. Deceiving others is a character defect—even if it is just stretching the truth a bit or cleaning up my motives so others would think well of me. My Higher Power can remove this character defect, but first I have to help myself become willing to receive that help by not practicing deception. I need to remember each day that deceiving myself about myself is setting myself up for failure or disappointment in life and in Alcoholics Anonymous. A close, honest relationship with a Higher Power is the only solid foundation I've found for honesty with self and with others. 

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 17/04


17 DE ABRIL
 AMOR E MEDO COMO OPOSTOS

Todas estas falhas geram o medo, uma doença da alma em si.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.42

            “O medo bate à porta; a fé atende; nada estava ali.”
         Não sei a quem esta citação deva ser atribuída, mas ela certamente indica muito claramente que o medo é uma ilusão.
          Eu mesmo crio a ilusão.
         Em minha juventude eu experimentei o medo e erradamente pensava que sua mera presença fazia de mim um covarde.
           Não sabia que uma das definições de “coragem” é a “disposição de fazer as coisas apesar do medo.” “Coragem”, portanto, não é necessariamente a ausência do medo.
          Durante as horas em que eu não tinha amor na minha vida, com certeza tinha medo. Ter medo de Deus é ter medo da alegria. Olhando para trás, percebo que durante as horas em que mais temia a Deus, não havia alegria em minha vida. Quando aprendi a não temer a Deus, também aprendi a experimentar a alegria.
______

Meditação do dia:
A conquista da libertação do medo é uma tarefa para toda a vida; é algo que nunca termina.”
(Na Opinião do Bill, p.263)


Daily Reflection


APRIL 17
LOVE AND FEAR AS OPPOSITES


All these failings generate fear, a soul-sickness in its own right.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 49


"Fear knocked at the door; faith answered; no one was there." I don't know to whom this quote should be attributed, but it certainly indicates very clearly that fear is an illusion. I create the illusion myself. I experienced fear early in my life and I mistakenly thought that the mere presence of it made me a coward. I didn't know that one of the definitions of "courage" is "the willingness to do the right thing in spite of fear." Courage, then, is not necessarily the absence of fear.

During the times I didn't have love in my life I most assuredly had fear. To fear God is to be afraid of joy. In looking back, I realize that, during the times I feared God most, there was no joy in my life. As I learned not to fear God, I also learned to experience joy.

domingo, 16 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 16/04


16 DE ABRIL
 IRA: UM “LUXO DUVIDOSO”

Se quiséssemos viver, era preciso livrar-nos da ira. A zanga e os acessos violentos de loucura não eram para nós. Poderá ser um luxo duvidoso para os homens normais, mas para os alcoólicos estas coisas são veneno.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.87 ou p.96

   “Luxo duvidoso”. Quantas vezes tenho me lembrado destas palavras. Não é apenas a raiva que é melhor deixar com os não alcoólicos; fiz uma lista que inclui ressentimento justificável, autopiedade, autojulgamento, farisaísmo, falso orgulho e falsa humildade. Sou sempre surpreendido ao ler a citação real. Os princípios do programa foram martelados tão bem em mim que continuo pensando que todos estes defeitos estão marcados também.
   Dou graças a Deus que eu não possa me dar ao luxo de tê-los – ou eu, seguramente, me entregaria a eles.
______

Meditação do dia:
A raiva farisaica também pode ser muito agradável. De um modo perverso, podemos até sentir prazer pelo fato de muitas pessoas nos aborrecerem, pois isso nos traz uma cômoda sensação de superioridade.”
(Na Opinião do Bill, p.153)



Daily Reflection
 
 APRIL 16
ANGER: A "DUBIOUS LUXURY"


If we were to live, we had to be free of anger. The grouch and the brainstorm were not for us. They may be the dubious luxury of the normal men, but for alcoholics these things are poison.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 66


"Dubious luxury." How often have I remembered those words. It's not just anger that's best left to nonalcoholics; I built a list including justifiable resentment, self-pity, judgmentalism, self-righteousness, false pride and false humility. I'm always surprised to read the actual quote. So well have the principles of the program been drummed into me that I keep thinking all of these defects are listed too.
Thank God I can't afford them—or I surely would indulge in them.

 

sábado, 15 de abril de 2017

Reflexões Diárias de A.A.: 15/04



15 DE ABRIL
 A ESCRAVIDÃO DOS RESSENTIMENTOS

...esse negócio de ressentimento é infinitamente grave, porque quando estamos abrigando estes sentimentos nos afastamos da luz do espírito.
 NA OPINIÃ0 DO BILL, p.5

   Foi dito “Raiva é um luxo ao qual não posso me permitir”.
   Sugere isto que eu ignore esta emoção  humana? Acredito que não. Antes de conhecer o programa de A.A., eu era um escravo dos moldes de comportamento do alcoolismo. Estava acorrentado à negatividade, sem esperança de soltar-me.
   Os Passos me ofereceram uma alternativa. O Quarto Passo é o início do final da minha escravidão. O processo de “soltar-se” começa com um inventário. Não preciso ficar assustado, porque os Passos anteriores me garantem que não estou sozinho. Meu poder Superior me guia até esta porta e me dá a dádiva da escolha. Hoje posso escolher abrir a porta para a liberdade e alegrar-me na luz dos Passos, uma vez que purificam o espírito dentro de mim.
______
Meditação do dia:
É evidente que uma vida que inclui profundos ressentimentos só leva à futilidade e à infelicidade.”
(Alcoólicos Anônimos, p.87 ou p.95)


Daily Reflection


APRIL 15
THE BONDAGE OF RESENTMENTS


. . . harboring resentment is infinitely grave. For then we shut ourselves off from the sunlight of the spirit.
AS BILL SEES IT, p. 5


It has been said, "Anger is a luxury I cannot afford." Does this suggest I ignore this human emotion? I believe not. Before I learned of the A.A. program, I was a slave to the behavior patterns of alcoholism. I was chained to negativity, with no hope of cutting loose.
The Steps offered me an alternative. Step Four was the beginning of the end of my bondage. The process of "letting go" started with an inventory. I needed not be frightened, for the previous Steps assured me I was not alone. My Higher Power led me to this door and gave me the gift of choice. Today I can choose to open the door to freedom and rejoice in the sunlight of the Steps, as they cleanse the spirit within me.